terça-feira, 8 de Novembro de 2011

Personal Learning Environment - PLE

“A ideia por trás do ambiente de aprendizagem pessoal (PLE) é que a gestão da aprendizagem migra da instituição para o aluno. O PLE se conecta a uma série de serviços remotos, alguns especializados no aprendizado e outros não. O acesso à aprendizagem torna-se o acesso aos recursos e serviços oferecidos por esses serviços remotos. O PLE permite que o aluno não apenas consuma recursos de aprendizagem, mas também os produza. A aprendizagem, portanto, evolui de transferência de conteúdo e conhecimento para produção de conteúdos e conhecimento”. (Stephen Downes)



https://cacoo.com/diagrams/GWYc6a9pg8sPnvNt-5ADA5.png

No diagrama acima está representado o meu PLE.

Através de um browser instalado em meu PC (Chrome, IE ou Firefox), começo por aceder ao meu e-mail (hotmail ou gmail), onde tomo conhecimento das últimas e mais urgentes novidades, como por exemplo mensagens dos fóruns da plataforma Learning System Management - Moodle - do Mestrado em Pedagogia do Elearning da Universidade Aberta, o qual acedo em seguida para participar em algum fórum de discussão das unidades curriculares ou para verificar se outros fóruns foram abertos e ainda não os subscrevi. Para conversar com meus amigos ou colegas utilizo o Skype, mas não recuso a chamada se for no MSN ou do chat do Facebook. Neste costumo disponibilizar algumas fotos, manter contato com meus amigos mais distantes, publicar alguma curiosidade.

Quando necessito de realizar alguma pesquisas utilizo na grande maioria das vezes o Google e encontrando material de interesse, armazeno logo no Mendeley (biblioteca virtual), no Diigo ou no Delicious (social bookmarks) onde posso também partilhar com meus contatos os links ou materiais, fruto da minha pesquisa. O Youtube também está sempre presente em minhas pesquisas quando o meu interesse está voltado para conteúdo multimédia e o Flickr para partilha de imagens. Mas, quando a partilha é de ficheiros pdf ou doc, utilizo o Scridb ou o Slideshare

O SecondLife foi utilizado no módulo de ambientação no início do mestrado e embora no momento ando sem tempo de ir por lá dar umas voltas, não o posso descartar de citá-lo em meu PLE, uma vez que este revelou uma forma formidável de aquisição e partilha de conhecimentos.

No desenvolvimento de apresentações prefiro utilizar o Prezi. Contudo se o conteúdo já estiver no PowerPoint e quero-o colocar on-line, armazeno-o no Brainshark. Saliento que o Prezi, por ser uma ferramenta colaborativa, é ótimo para ser utilizado em trabalhos de grupo onde o produto final venha a ser apresentações.

O Twitter é fantástico para manter-se informado e partilhar assuntos do nosso interesse de modo rápido e direto. Muitas vezes denominado de rede social, seu objectivo e modo de trabalho é muito diferente de outras redes sociais, nomeadamente o Facebook ou o Orkut. Essa ferramenta foi trabalhada recentemente na unidade curricular Ambiente Virtual de Aprendizagem.

A utilização do LinkedIn (rede social com fins profissionais) é novidade para mim. Registei-me recentemente e estou a experimentá-lo. As possibilidades demonstradas pela ferramenta são interessantes: trabalho, oportunidades, redes de contatos.

Precisando elaborar algum trabalho de escrita colaborativa nada como uma wiki: PBworks ou Wikispaces são as minhas preferidas. Embora também utilize o Google Docs, ultimamente ele tem se revelado um pouco lento, o que o fez ser colocado de lado, entretanto mantenho-o em meu PLE devido a utilidade de suas funcionalidades.

Se preciso partilhar aquele ficheiro enorme e não cabe nos anexos do e-mail utilizo o Dropbox e partilho o link com meus contatos. No Dropbox posso armazenar em pastas os mais diversos tipos de ficheiros e partilhar cada pasta com contatos distintos. Muito bom e útil.

Os agregadores mantém-nos informados sem que tenhamos de aceder constantemente um site ou blogue para verificar se houve ou não atualizações. Se os subscrevermos através de um Feed, quando os blogues ou sites são atualizados, automaticamente recebemos a informação em nosso agregador, por exemplo o Google Reader. Criei recentemente um jornal no Scoop.it intitulado Educação Móvel. Ele comporta-se mais ou menos como um blogue, onde vamos postando notícias de outros locais (blogues, sites ou mesmo escrevendo nós próprios a informação). Fiquei na dúvida se o representava juntamente com os agregadores ou com meu blogue pessoal, mas como existe a possibilidade de seguirmos outros “jornais” do Scoop.it e somos constantemente informados das atualizações, penso que dessa forma ele também se comporta como um agregador.

Classifico as ferramentas Web 2.0 numa imagem única para representar todas aquelas ferramentas disponíveis na Web que necessitamos esporádica e pontualmente, seja para a elaboração de um podcast, screencast, ou outras atividades. Destas, destaco a que utilizei na elaboração do diagrama acima – Cacoo. Não a conhecia, foi mais umas dessas que se encontra na imensidão de possibilidades da Web.


Meu PLE também abrange ferramentas a serem utilizadas localmente, podendo o meu browser estar off-line. Nestas ferramentas incluo o Windows Office (Word, Excel, PowerPoint, entre outros), ferramentas para tratamento de ficheiros pdf (leitura,  junção, criação, desbloqueio), ferramenta para criação de vídeos - MovieMaker e ainda ferramentas para compactação/descompactação de ficheiros, entre outras. 

E finalmente, depois da pesquisa realizada, conteúdo desenvolvido (seja este colaborativo ou individual, on-line ou off-line),  através do navegador web acedo meu  blogue  e disponibilizo este conteúdo à minha rede. Confinado no blogue está o Twitter, com minhas últimas mensagens e o Scoop.it, podendo redirecionar ao meu jornal (ou agregador de noticiais, como referi acima). 


É de salientar a necessidade constante de reformulação/alteração de um PLE. Neste tem de estar presentes ferramentas facilitadoras de aprendizagem e, logicamente, se o foco de uma aprendizagem se altera, alterarão também as ferramentas do nosso PLE. Considero ainda o surgimento constante de novas aplicações na web que superam por vezes as existentes, substituindo-as.


Fontes consultadas:


Attwell, G. (2007). Personal Learning Environments - the future of eLearning?. eLearning Papers vol. 2, nº 1. Disponível em: http://www.elearningeuropa.info/files/media/media11561.pdf. [acedido em novembro de 2011].

Downes, Stephen. Learning networks in practice. National Research Council of Canada. Disponível em: http://www.downes.ca/files/Learning_Networks_In_Practice.pdf. [acedido em novembro de 2011].

Edtechpost. Disponível em: http://edtechpost.wikispaces.com/PLE+Diagrams. [acedido em novembro de 2011].

Mota, José. (2009). Personal Learning Environments: Contributos para uma discussão do conceito. Revista Educação, Formação & Tecnologias. Disponível emhttp://eft.educom.pt/index.php/eft/article/view/105/66. [acedido em novembro de 2011].

Sclater, Niall. (2008). Web 2.0, Personal Learning Environments, and the Future of Learning Management Systems (Research Bulletin, Issue 13). Boulder, CO: EDUCAUSE Center for Applied Research. Disponível em: http://net.educause.edu/ir/library/pdf/ERB0813.pdf. [acedido em novembro de 2011].




2 comentários:

  1. É engraçado como todos usamos abordagens diferentes aos PLE. Não é só a nossa visão pessoal da matéria, personalizada, é também a forma como incluimos no nosso PLE coisas que podem não ocorrer a outros. Isto traduz uma evolução pela prática, e implica que podemos perceber e reflectir melhor essa mesma prática em trablaho comparativo. Ou seja, considero mesmo essencial visitar outras contribuições.
    O seu PLE é muito extenso, Débora. Digo isto no bom sentido, porque, quando comecei o meu, coloquei menos coisas do que estão lá agora. Fui depois descobrindo que faltavam algumas, especialmente quando tentei descrever o PLE, e que tinha que fazer uma escolha se as queria mesmo incluir ou não. Mas ha´estilos diferentes: eu sou mais de incluir o "núcleo duro", deixando de fora o acessório.
    Achei graça ao Cacoo, que não conhecia, mas reconheço que não vou trocar. Adoro a facilidade de "zoom" do Prezi, pela possibilidade que dá de usar o tamanho dos objectos (e a posição, claro) para reflectir importância relativa.
    Gostei muito da sua descrição, porque é muito pessoal, como um PLE deve ser. Tomara que eu conseguisse escrever assim, mas sou português de demais para isso (se calhar, por isso é que gosto de escrever em inglês, porque estou menos limitado na expressão, ;-) ).

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Olá Manuel,
    agradeço seu comentário sobre o meu PLE. De fato ele é mesmo muito extenso, mas ainda ficaram algumas ferramentas de fora, porque só lembrei-me agora! Não utilizo todas essas ferramentas de uma vez, como é óbvio. No PLE estão aquelas que utilizámos, gostamos e então catalogamos para quando necessário.

    Quanto a escrever muito, hehehe! Não fui capaz de resumir. E pelo sim e pelo não fica tudo registado.

    Abs

    ResponderEliminar